O que você acha desse cartaz?

Muito triste ver este cartaz!! Muitas pessoas preferem pagar caro por cachorros de raças enquanto outros morrem de fome nas ruas da cidade.

Published in: on 31/03/2010 at 21:25  Comments (4)  

Sapos foram capazes de prever terremoto em L’Aquila, afirma estudo.

O comportamento dos sapos durante o período de acasalamento pode possibilitar “prever o imprevisível”, ou seja, um sismo, segundo estudo publicado por pesquisadores de uma universidade britânica.

Uma “alteração brusca no comportamento” dos sapos comuns machos (Bufo-bufo) foi percebida “cinco dias antes do sismo” ocorrido na cidade italiana de L’Aquila , no dia 6 de abril de 2009, de acordo com a equipe que vigiava esses anfíbios em seu local de reprodução.

Os resultados obtidos sugerem que “os sapos comuns Bufo-bufo são capazes de pressentir eventos sísmicos importantes e de adaptar seu comportamento em consequência”, disse a bióloga Rachel Grant da Universidade Open, em Milton Keynes, Reino Unido.

Junto de seu colega Tim Halliday, da Oxford, ela observava por vários dias os animais a 74 quilômetros de Áquila, no momento em que a cidade foi surpreendida pelo terremoto de magnitude de 6,3 graus, que fez 299 vítimas.

Cinco dias antes do tremor, o número de sapos machos presentes no local de reprodução brutalmente reduziu em 96%, um comportamento “altamente incomum” para esses anfíbios, segundo o estudo publicado no “Journal of Zoology”.

“Uma vez que os sapos chegam para se reproduzir, eles ficam habitualmente ativos em grande número no local de reprodução até que o período de acasalamento termine”, lembraram Grant e seu colega da Oxford. Nos três dias precedentes ao tremor, o número de casais caiu para zero.

Depois de terem abandonado o local com a proximidade do sismo, os machos retornaram para lá timidamente na lua cheia. Mas eles eram bem menos numerosos que nos anos anteriores: somente 34, contra 67 a 175 sapos contados no passado.

No dia 15 de abril, tendo se passado vários dias após o terremoto e dois dias depois da sua última réplica importante, o número de sapos continuou mais baixo que de costume.

Os pesquisadores confessam que não sabem ao certo “qual sinal ambiental” os sapos captaram com “tanta antecedência”. Mas eles destacaram que a baixa das atividades dos anfíbios coincidiu com as “perturbações pré-sísmicas na ionosfera”, camada superior da atmosfera onde os gases são ionizados (elétricos).

Essas perturbações detectadas em radiofrequências baixas podem estar ligadas a vazamentos de radônio, gás radioativo que surge do subsolo terrestre, ou às ondas gravitacionais.

Outros animais como elefantes, peixes, serpentes ou lobos também foram estudados no passado à procura de sinais precursores de sismo, sem, entretanto, fornecer dados tão concretos como os dos sapos.

Texto retirado do site G1.

Published in: on 31/03/2010 at 21:02  Deixe um comentário  

Animais de abrigos não serão mais usados em experimentos em Utah, nos EUA.

Graças aos e-mails, cartas e telefonemas de milhares de defensores dos animais, os legisladores de Utah votaram, com esmagadora maioria, a alteração de uma lei estadual que determina que abrigos de animais não são obrigados a entregar cães e gatos para laboratórios, para serem usados em experimentos cruéis e mortais. O projeto de lei foi assinado no sábado, 27, pelo governador de Utah, nos Estados Unidos

A nova lei também aumenta o período que os animais podem ficar nos abrigos e incrementa os seus esforços para encontrar os tutores dos animais perdidos.

Essas mudanças positivas têm a influência de uma denúncia recente da organização em defesa dos animais PETA (Pessoas pelo Tratamento Ético dos Animais), que mostrou o que acontece com os animais dentro dos laboratórios da Universidade de Utah.

As imagens revelaram cenas chocantes, em que, todos os anos, mais de 100 cães e gatos abandonados, oriundos de abrigos de animais em Utah, são vendidos para a universidade para serem utilizados em experimentos invasivos, dolorosos e mortais.

Uma das imagens mostra filhotes de gatos sendo injetados com substâncias químicas em seus cérebros, fazendo com que o líquido se acumule no interior de sua cabeça. Todos os filhotes morreram.

Com esta nova lei, os animais de estimação de Utah podem ficar um pouco mais tranquilos. No entanto, ainda é preciso que a população se conscientize sobre a crueldade no abandono de aninais, deixando-os à própria sorte nas ruas, sem moradia e alimentação, sujeitos a doenças, fome, frio, e maus-tratos. Os animais são seres sencientes como nós, e devem ter seus direitos à vida, liberdade e não tortura respeitados.

Texto retirado do site G1.

Published in: on 31/03/2010 at 20:53  Deixe um comentário  

Circos com animais selvagens podem ser proibidos no Reino Unido.

O banimento de animais selvagens em circos pode ser determinado por uma lei, já aprovada pela população, no Reino Unido. Quando questionados sobre o uso de animais selvagens em circos, como leões e elefantes, 94,5% do povo britânico disse que o banimento era a melhor opção, levando em consideração os direitos dos animais. Um número ainda maior, 96%, disse que circos não deviam ter permissão para adquirir animais selvagens.

O ministro britânico de bem-estar animal, Jim Fitzpatrick, disse: “Eu concordo com a visão da grande responsabilidade do governo, de que manter animais selvagens em circos não é mais aceitável. Logo, estou determinado a banir o uso de animais em circos”.

A pesquisa, que consultou mais de 10 mil britânicos, estava conectada ao Animal Defenders International (ADI), que vem fazendo campanhas pela proibição de animais em circo há 18 anos.

O chefe executivo da ADI, Jan Creamer, disse: “Todos os animais em circos itinerantes têm a sua natureza comprometida pela falta de mobilidade do circo, com confinamentos severos, torturas e maus-tratos. Além do mais, esses animais não têm nenhuma proteção legal, já que não existem regulamentos protegendo-os pelo Animal Welfare Act. É preciso proibir isso”.

A lei de banimento inclui grandes felinos (como leões e tigres) e elefantes. Porém, infelizmente, animais domésticos como coelhos, gatos e cachorros ainda serão permitidos em circos no Reino Unido.

Texto retirado do site G1.

Pelo amor de Deus, está demorando uma atitude contra o uso de animais em circos em todos os continentes.


Published in: on 31/03/2010 at 1:02  Deixe um comentário  

Qual a origem do símbolo nazista SUÁSTICA?

Não se sabe exatamente quem foi o primeiro povo a usar a suástica. Mas certamente, antes de ser adotada pelos nazistas, ela já fazia parte da cultura de vários povos, geralmente como um símbolo de sorte. A cruz gamada, como é conhecida, era uma das formas mais utilizadas nas moedas dos mesopotâmios, em 3 000 a.C. Ela aparece ainda na arte de vários povos antigos, tanto da América Central (maias) como do Norte (navajos). Para os hindus, ainda hoje funciona como um símbolo de ventura.

Mas há uma distinção entre a suástica com braços virados para a direção do relógio e aquela voltada para o sentido contrário. A primeira é usada para práticas de magia e acredita-se que seja capaz de atrair deuses maus. A que traz boa sorte tem os braços voltados para a direita e é tida como um símbolo do Sol. A última passou a ser usada como uma efígie do nazismo por sugestão do poeta nacionalista Guido List. Ele sugeriu que ela fosse adotada como símbolo das organizações anti-semitas quando o Partido Nacional Socialista foi fundado na Alemanha, em 1919.

Texto retirado da revista Super Interessante.

Published in: on 31/03/2010 at 0:33  Comments (18)  

REMÉDIOS PARA EMAGRECER PODEM CAUSAR DEPENDÊNCIA.

Dos quatro medicamentos para emagrecer mais consumidos no país, conforme a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), três são anfetaminas, drogas sintéticas que podem causar dependência no caso do uso abusivo, segundo o Centro de Assistência Toxicológica do Hospital das Clínicas (Ceatox) de São Paulo. São os medicamentos anorexígenos à base de anfepramona, mazindol e femproporex.

O inibidor de apetite sibutramina, também entre os mais consumidos e vendido comercialmente com os nomes de Reductil, Plenty e Sibutral, não causa dependência, segundo o Ceatox. No entanto, os remédios à base da substância terão controle mais rigoroso a partir desta terça-feira (30), de acordo com a Anvisa, porque podem aumentar o risco de problemas cardiovasculares.

O toxicologista Antônio Wong, chefe do Ceatox, explica que, entre os anorexígenos, o femproporex é o que mais pode causar dependência. “O uso abusivo da anfepramona e do mazindol também podem levar ao quadro de dependência, mas ocorre com menos frequência”, destaca.

Anfepramona, mazindol e femproporex já são remédios tarja preta, dentro do grupo “B2″, no qual é preciso que o paciente apresente uma receita especial, de cor azul, para efetivar a compra no estabelecimento farmacêutico.

A sibutramina, que era do grupo “C1″, no qual pede-se a receita branca em duas vias, passou para o grupo “B2″. A indústria farmacêutica terá 180 dias para adequar a embalagem de tarja vermelha para preta, mas os médicos já devem começar a prescrever com a receita azul. Confira no infográfico abaixo os remédios que podem causar dependência.

Wong informou que, embora a sibutramina seja um inibidor de apetite, também é usado como antidepressivo. “Ele é eficiente como antidepressivo, mais que a fluoxetina (vendido com os nomes comerciais Prozac e Daforin). O controle não se deu por causa do perigo do uso abusivo, mas sim porque estudos mostram o risco cardiovascular, arritmia. A Europa retirou do mercado, mas o governo brasileiro, para não deixar os endocrinologistas sem opção, aumentou a fiscalização”, destaca o toxicologista, que presta consultoria para a Anvisa.

O toxicologista destaca que não há uso abusivo somente entre os remédios que causam dependência. “Pode haver uso abusivo de todo tipo de medicamento. Se a pessoa se sente bem com o remédio, pode acabar tomando mais do que o receitado pelo médico”, destaca.

Antônio Wong afirma que o uso abusivo dos anorexígenos afetam a coordenação motora. Há relatos de pessoas que morreram devido ao consumo em excesso.

Em entrevista ao G1 sobre o uso abusivo de medicamentos, o Ministério da Saúde afirmou que o governo se preocupa com a questão: “É um problema grave no Brasil. (…) Acho importante abordar essa situação porque, para a saúde pública, as drogas ilegais, legais e prescritas podem apresentar danos comparáveis. Nós sabemos que, de todas as drogas, as mais danosas são duas legais, o álcool e o tabaco. E, entre as que não são ilegais, existe ainda o problema dos medicamentos que podem causar dependência”, disse o coordenador geral de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas, Pedro Gabriel Godinho Delgado.

Consumo

Segundo dados divulgados pela Anvisa nesta terça, que integram o primeiro relatório do Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados (SNGPC), que começaram a ser coletados em 2007, os quatro anorexígenos tiveram consumo de quase seis toneladas no ano passado. Deles, os mais consumidos foram, pela ordem: anfepramona (3 toneladas), sibutramina (1,8 tonelada), femproporex (1,04 tonelada) e mazindol (2 kg).

Os dados se referem às informações repassadas por 38.500 estabelecimentos farmacêuticos, cerca de 62% da rede privada no país. A Anvisa destacou que não é possível aferir se houve alta no consumo pois se trata do primeiro relatório.

Além dos quatro anorexígenos mais vendidos, a Anvisa também verificou dados de venda do antidepressivo fluoxetina (3,5 toneladas em 2009) e do estimulante metilfenidato (174 kg em 2009), para tratamento de Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH), que faz parte do grupo das anfetaminas e também pode causar dependência devido ao uso abusivo.

Na avaliação da Anvisa, o SNGPC permite um maior controle para conter o uso abusivo de medicamentos. “Assegura um controle muito mais estrito e, conseqüentemente, promove o uso racional dos medicamentos que podem causar dependência física ou psíquica”, diz a Anvisa em nota.

Maiores prescritores

Ao analisar os dados do sistema, o órgão de vigilância sanitária verificou que entre os 10 maiores prescritores dos anorexígenos não estão profissionais ligados à área de endocrinologia, o que seria esperado.

O maior prescritor do femproporex é um dermatologista, conforme a Anvisa. Entre os dez maiores prescritores de sibutramina, está um médico do tráfego, que cuida da saúde de caminhoneiros e profissionais do trânsito. Entre os dez médicos que mais prescreveram anfepramona no Brasil no ano passado, estão um ginecologista e outro gastroenterologista. Entre os que mais prescrevem o emagrecedor mazindol há um pediatra.

A Anvisa disse que comunicou ao Conselho Federal de Medicina sobre os maiores prescritores dos medicamentos anorexígenos, para que seja investigado se há irregularidades.

Manipulados

Segundo dados da Anvisa, a anfepramona, também conhecida por dietilpropiona, é vendida pelo menos quatro vezes mais na forma manipulada do que na industrializada. “[Isso] pode ser justificado pela diferença de preço deste medicamento manipulado, que geralmente é muito menor que o preço dos produtos industrializados vendidos em drogarias e pela tendência de dosagem personalizada para cada paciente”, diz nota da Anvisa. A sibutramina também é vendida mais na forma manipulada.

Texto retirado do site G1.

Published in: on 31/03/2010 at 0:24  Comments (2)  

PROBLEMAS CAUSADOS PELO DESMATAMENTO!

Vejam um dos problemas que o desmatamento está trazendo para a população canina.

ADOROOOOO!!!

Published in: on 31/03/2010 at 0:16  Comments (1)  
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 990 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: