O que é Farmacogenética?

Graduandas: Bruna Amaral de Oliveira, Carolina Olympio Barçante, Dannylla Portugal de Paula, Felipe Elvis, Jolliny Sanzia Muniz Gonçalves, Marília Escobar Tomaz Rabelo, Patrícia Maria de Carvalho Campos.

Orientadora: Prof. Msc Letícia Braga

INTRODUÇÃO

Farmacogenética é o estudo da base genética da variação na resposta à droga, que emprega ferramentas para o levantamento de todo o genoma para avaliar determinantes multigênica de resposta (GOODMAN & GILMANS, 2006). De acordo com Chowbay, B et al. (2005) apud METZGER, Ingrid et al., 2006) a Farmacogenética/Farmacogênomica é a Ciência que estuda a influência das variações genéticas em respostas a medicamentos, a Farmacogenética é focada em efeitos de genes específicos, enquanto a Farmacogênomica atua simultaneamente no estudo de vários genes e suas interações.

A farmacogenética busca conhecer melhor as aplicações das diferenças genéticas para respostas individuais não só aos medicamentos, mas também às outras substâncias de uso, como drogas de abuso e visa contribuir para a individualização da terapêutica, com a prescrição do medicamento certo e na dose adequada para cada indivíduo, com base no conhecimento dos fatores genéticos que regulam a farmacocinética¹ e a farmacodinâmica² dos medicamentos, sendo ainda precursora do desenvolvimento de novas medicações (SUAREZ-KURTZ, 2004).

O objetivo deste trabalho é explicar do que se trata a Farmacogenética, suas aplicações e perspectivas e a importância de um tratamento individualizado a partir da análise genômica.

DESENVOLVIMENTO

Os polimorfismos genéticos são variações nas seqüências de nucleotídeos que compõe o DNA (METZGER et al., 2006). Essas variações podem ser de ordem natural, sem causar nenhum dano, porém, alguns podem afetar a estabilidade do RNA mensageiro ou provocar substituições, deleções ou inserções de bases nitrogenadas, modificando a estrutura das proteínas como, suas propriedades físico-químicas; a síntese da proteína envolvida no metabolismo do fármaco; ou especificamente o próprio alvo do fármaco, resultando em respostas diferenciadas a medicamentos (WALKER & RAPLEY, 1999 apud FONTANA et al., 2006).

A figura 1 ilustra as diferentes respostas quanto à mesma dosagem de um fármaco. Luizon et al (2010), relata que indivíduos que apresentam deficiência ou mesmo a deleção de algum gene, prejudicando o metabolismo da droga, são chamados metabolizadores lentos; indivíduos que alcançam, mas não ultrapassam o intervalo terapêutico, são considerados metabolizadores intermediários; já aqueles que possuem excesso da resposta farmacológica, fato geralmente associado a duplicação do gene que codifica a enzima, são considerados metabolizadores rápidos.

A princípio, como ilustra o Dr. Guilherme Kurtz, coordenador de pesquisa do INCA, faz-se necessário reconhecer quais são os genes que afetam a resposta do medicamento em questão bem como a doença relacionada, analisando a dosagem administrada, os processos farmacocinéticos e farmacodinâmicos do medicamento. (SUAREZ-KURTZ, 2004).

Assim sendo prossegue-se às técnicas de Genética Molecular, codificando os genes, as polimorfias destes genes e identificando os alelos variantes. São utilizados os métodos de sequenciamento de identificação de polimorfismos por tamanho de fragmento de restrição (RFLP), junto com o de reação em cadeia polimerase (PCR), bem como eletroforese (HIRATA et al., 2006).

No método RFLP, enzimas de restrição “cortam” o DNA em pontos específicos produzindo fragmentos de tamanhos diferentes se o sítio de corte estiver alterado. No método PCR, a enzima polimerase promove a síntese de cópias dos fragmentos gerados para que se tenha quantidade suficiente para a identificação correta. (SUAREZ-KURTZ, 2004).

CONSIDERAÇÕES FINAIS

A Farmacogenética é um campo de pesquisa muito importante para a ciência e que promete melhorar a qualidade de vida de quem faz uso dos fármacos. O ajuste da dose individual com base na informação genética melhora a relação risco / benefício, uma vez que estudos clínicos têm demonstrado que os efeitos terapêuticos e as reações aos medicamentos são modificados pelos polimorfismos. Porém ainda são necessários avanços, principalmente na identificação dos marcadores genéticos de maior relevância clínica e variações genéticas mais importantes, esbarrando ainda em questões éticas e econômicas.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

FONTANA, Vanessa; PUHL, Ana Cristina; PEDRINI, Fernanda, FALKENBERG, Miriam; COFRE, Jaime. O conceito de gene está em crise- A farmacogenética e a farmacogenômica também?. Revista Biotemas. Laboratório de Química Farmacêutica (CIF/CCS/UFSC), Laboratório de Embriologia Molecular, BEG, sala 313b Campus Universitário, UFSC. Biotemas, 19 (3)p: 87-96, set/ de 2006;

GOODMAN, L.S; GILMAN, A. The Pharmacological Basis of Therapeutics – 11ª ed. New York. Editora McGraw Hill, 2006. 1821 pags ;

HIRATA, Mario H.; VTAVARES, Vladimir; HIRATA, Rosário D. Da biologia molecular à medicina: Métodos comumente utilizados em Farmacogenética.Simpósio: Farmacogenética. Departamento de Farmacologia, Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto – USP, 39 (4): 522-34, out./dez. 2006;

LUIZON, Marcelo R.; METZGERI, Ingrid F.; SANDRIM, Valéria C.; SANTOS, José Eduardo T. BASES DA FARMACOGENÉTICA. 2010. Disponível no site <http://www.geneticanaescola.com.br/ano5vol1/MS11_006.pdf >. Acessado dia 18/11/2010 as 21:30;

METZGERI, Ingrid; SOUZA-COSTA, Débora; TANUS-SANTOS, José Eduardo.Farmacogenética: Princípios, Aplicações e Perspectivas. Simpósio: Farmacogenética. Departamento de Farmacologia, Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto – USP, 39 (4): 515-21, out./dez. 2006;

SUAREZ-KURTZ, Guilherme. Farmacogenômica: a genética dos medicamentos. Ciência Hoje. Instituto Nacional de Câncer (RJ), vol. 35 , nº 208, p.20-27, Set/2004;

SUAREZ-KURTZ, Guilherme. Farmacogenética: O Medicamento certo para o paciente certo. 2004. Disponível no site <http://www.ghente.org/temas/farmacogenomica/artigos_kurtz.htm>. Acesso em  18/11/2010 as 22:00.

 

¹ Farmacocinética trata dos processos de absorção, distribuição e eliminação do composto químico seja por excreção ou biotransformação.

² Farmacodinâmica estuda as interações dos compostos químicos com seus receptores nos organismos.

Anúncios
Published in: on 26/12/2010 at 21:42  Deixe um comentário  

The URI to TrackBack this entry is: https://mariliaescobar.wordpress.com/2010/12/26/o-que-e-farmacogenetica/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: