Mataram a formiguinha…

OBS: Kekê, obrigada pela dica. Até eu fiquei com dó da formiguinha!!

Published in: on 29/04/2011 at 19:04  Deixe um comentário  

Tubarão – Conhecer para Preservar

Por Marcelo Szpilman *

Recentemente conheci o brilhante pensamento do poeta senegales, BabaDioum, que diz: “No fim, conservaremos apenas o que gostamos. Gostaremos apenas do que compreendemos. Compreenderemos apenas o que nos tiver sido ensinado.”

Não poderia haver idéia mais adequada para a questão dos tubarões. Representa exatamente o que nós do Projeto Tubarões no Brasil temos buscado. Meios de fazer com que as pessoas compreendam a importância desses magníficos predadores para a manutenção da saúde e do equilíbrio dos ecossistemas marinhos.

Como tenho feito, cinegrafistas submarinos como Lawrence Wahba e GabrielGanme, ou mesmo como o apresentador Luciano Huck, têm mergulhado com tubarões nos últimos anos para contribuir no ensinamento da verdade sobre os tubarões e para promover a compreensão e a empatia da sociedade com esses seres marinhos que também merecem e precisam ser preservados.

Ainda que o “shark feeding” (mergulho para alimentação de tubarões) seja um método controverso de desmitificação, recomendo a todos que assistam o filme Nina Salerosa, de Joe Romeiro (veja link abaixo). Ele mostra que os tubarões são animais com os quais pode-se perfeitamente interagir de forma amistosa. Vale esclarecer, no entanto, que a imobilidade tônica do tubarão conseguida pela mergulhadora ocorre devido à malha de aço que ela veste. Com a luva (de malha de aço), ela esfrega o focinho do tubarão e provoca um excesso (choque) de sensibilidade eletromagnética, sentido proporcionado pelas âmpolas de Lorenzini, cujos poros são vísíveis no filme. O animal entra em estágio de torpor, relaxa e pode ser manuseado com relativa segurança.

Veja também: http://www.youtube.com/user/marceloszpilman?feature=mhum#p/u/27/gWf0d1HVEr4

Texto recebido por email pelo Projeto PROTUBA.

Published in: on 28/04/2011 at 22:14  Comments (1)  

Curso teórico / prático de Manejo de Serpentes em BH.

Retirado do site http://www.biogalapagos.com.br/.

Published in: on 26/04/2011 at 22:00  Deixe um comentário  

Tráfico de animais – Terça Ambiental da Amda

A Amda realiza, na terça-feira, dia 26 de abril, a segunda edição do projeto Terça Ambiental. Desta vez, o tema é tráfico de animais.

O evento acontece no auditório do Senac, de 19h às 21h. Durante o evento, representantes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e recursos Naturais Renováveis (Ibama), Polícia Militar de Meio Ambiente e Polícia Federal farão breve apresentações sobre o assunto.

Para participar, basta se inscrever gratuitamente enviando e-mail para eventos@amda.org.br com os seguinte dados: nome completo, data de nascimento, CPF, identidade, escolaridade, endereço completo, profissão e telefone.

O auditório do Senac fica na Rua Guajajaras, 40 – 16º andar, centro, Belo Horizonte.

Mais informações pelo telefone (31) 3291-0661.

Texto recebido pelo CRBio 04.

Published in: on 20/04/2011 at 21:57  Deixe um comentário  

GOLPE – A Páscoa está chegando e tem coelho falso tentando te enganar.


Feliz Páscoa!!

OBS: Obrigada ao amigo Marcelo por ter enviado este lindo email.

Published in: on 20/04/2011 at 21:11  Comments (4)  

Atitude é tudo!

Amigos leitores,

O amigo Daniel me passou este vídeo e eu adorei. É disto que o mundo precisa. É isto que nós, ambientalistas, esperamos do mundo: A-T-I-T-U-D-E!

Filhote de gato nasce com cara de cachorro.


Essa é para quem ainda acredita que cães e gatos estão sempre se estranhando. Em uma pequena cidade da China, uma gatinha virou estrela depois de ter dado à luz ao que parece mais um filhote de cachorro, como mostra a foto divulgada pelo jornal Orange News.

Mas, o mais inacreditável da história é que dona dos bichos de estimação disse que sua gata pode ter cruzado com um outro cachorro que também mora com ela, já que os dois se relacionam muito bem.

Foi uma veterinária quem logo cuidou de desfazer essa confusão, afirmando que o mais provável é que a gatinha tenha encontrado o filhote na rua, adotando-o como sua cria. A especialista garatiu que é impossível um gato dar à luz a um cachorro porque são animais de espécies diferentes.

Texto retirado do site Uai.

Published in: on 18/04/2011 at 22:34  Comments (1)  

Panamá aumenta punição para quem pratica maus-tratos aos animais.

Um projeto de lei da Comissão Legislativa de Ambiente, que está sendo discutido na Assembleia Nacional, refere-se a que todos os casos de maus-tratos e crueldade contra os animais serão investigados. As pessoas que cometerem algum tipo de crime contra um animal poderá pagar uma multa de até 5 mil balboas e os casos em que os maus-tratos culminem na morte do animal, a pena chega a dois anos de prisão em regime fechado.

Segundo a assessoria de imprensa da Assembleia, a iniciativa foi apresentada pelo deputado Victor Juliao. O presidente da instância legislativa, Pablo Vargas, nomeou uma subcomissão, que será integrada, por Edwin Zuñiga e pelo próprio Vargas a fim de reunir todas as informações necessárias para oferecer aos setores involucrados com o tema para enriquecer o projeto e chegar a um senso comum.

De acordo com Vargas, devido ao projeto ser importante e delicado, é importante levar à consulta pública, assim, resultará em uma lei benéfica para quem dá tratamento justo e ético aos animais.

Albergues municipais

Segundo o jornal Hora Cero, o deputado Zuñiga manifestou a necessidade de contemplar o projeto com albergues municipais para os animais e outros centros, onde possam receber atenção quando é retirada a guarda dos tutores.

De acordo com o projeto de lei, ficam proibidas as rinhas de galos e corrida de cães, assim como de qualquer outra espécie animal. Além disso, estão poribidos de funcionar, entrar e permanecer território nacional, circos e espetáculos que utilizam animais de qualquer espécie.

Se responsável pelo circo utilizar animal, contrariando a legislação, será sancionado em multa que vai de mil a 5 mil balboas, independente do crime que tenha cometido, ou seja, a pena pode se aplicar a maus-tratos, lesões, abandono e morte.

Outro ponto importante do projeto é que todos aqueles que por ventura atropelem um animal, deverão retirá-lo da via e se estiver vivo, terá a obrigacão de levá-lo a uma clínica veterinária para que possa receber atenção médica.

Texto retirado do site Anda News.

Published in: on 16/04/2011 at 21:25  Deixe um comentário  

Encontrada tartaruga do tamanho de uma uva

Tiny Tim, a tartaruguinha que foi recuperada após ser roubada por traficantes de animais, tem apenas um mês e mede cinco centímetros. Ela e mais cinco irmãos estão, agora, à salvo no zoológico de Bedfordshire, Inglaterra. As informações são do jornal britânico Metro.

Tiny Tim pesa apenas seis gramas, mas, segundo os biólogos, ela deve chegar ao meio quilo em dez anos. Até lá, a família de tartaruguinhaspoderá desfrutar do viveiro projetado especialmente para elas.

Texto retirado do site Uol.

Published in: on 16/04/2011 at 21:04  Deixe um comentário  

O Calor e os Répteis

O uso de aquecedores em terrários é fundamental para a manutenção de répteis e anfíbios em cativeiro. Poréma intensidade de calor gerada eventualmente pode ser superior a indicada e causar sérios problemas a estes animais.

Em cativeiro os répteis não possuem o instinto de afastar-se do excesso de calor mesmo que ele os esteja queimando, causando queimaduras. Tirando os possíveis problemas oriundos do excesso de sol nenhuma situação similar ocorre na Natureza.

Excetuando-se queimadas naturais, onde existe a presença de fogo, não há como o animal identificar que a temperatura do solo possa ser tão prejudicial, principalmente na escuridão da noite. Dessa forma o animal percebe que algo esta errado mas, não tendo o sol como referência, não tem o instinto para definir que é o substrato que está quente demais e afastar-se dele.

Algumas fontes de aquecimento possuem um termostato para o controle da temperatura, mas a maioria não necessita, pois, a temperatura máxima atingida não chega a prejudicar o animal. Mas algumas rochas ou placas aquecidas eventualmente podem gerar alguns graus à mais do que o ideal, principalmente no verão, e para evitar problemas pode ser utilizado um “dimmer” ou regulador de intensidade de energia, normalmente usados em quartos de crianças para aumentar ou diminuir a intensidade de luz.

Com ele pode-se reduzir a potência de calor caso este esteja acima do indicado. Outra maneira é colocar dentro do terrário uma camada maior de substrato entre o aquecedor e o animal. Normalmente quando a placa aquecida é utilizada é pelo volume de substrato que controla-se a intensidade de calor necessário no ambiente.

Quanto maior menor é o aquecimento. Este substrato pode ser terra, bark (casca de árvore triturada), forração, carpete ou esmo folhas adicionais de jornal.

 Texto retirado do site Breno Damasceno (http://www.brenodamasceno.com.br).

Published in: on 14/04/2011 at 22:18  Deixe um comentário  
%d blogueiros gostam disto: