Conheça um pouco mais do vírus HTLV. Não é o vírus da Aids.

1. O que é vírus HTLV?

O vírus HTLV (sigla da língua inglesa que indica vírus que infecta células T humanas) é um retrovírus isolado em1980 apartir de um paciente com um tipo raro de leucemia de células T. Apresenta dois tipos: O HTLV-I que está implicado em doença neurológica e leucemia, e o tipo 2 (HTLV-II) que está pouco evidenciado como causa de doença.

2. Todas as pessoas que estão infectadas pelo HTLV-I irão desenvolver alguma doença?

Não. A minoria dos portadores assintomáticos (sem sintomas) poderão desenvolver alguma doença. No Japão, por exemplo, 14 em cada 1500 portadores assintomáticos poderão desenvolver a doença neurológica (dificuldade de andar). No caso de leucemia o risco é ainda menor, ou seja, um em cada 10.000 portadores poderá desenvolve-la ao longo da vida.

3. Sou portador sem sintomas de HTLV-I, quais os primeiros sintomas que poderão aparecer?

Como já enfatizamos, cerca de 99% das pessoas portadoras do HTLV-I NUNCA desenvolverão qualquer problema de saúde relacionado ao vírus HTLV. Entretanto, alguns pacientes podem desenvolver problemas neurológicos, geralmente, começam a se queixar de dores nos membros inferiores (panturrilhas), na região lombar (parte inferior da coluna lombar), dificuldade de defecção ou micção. Estes sintomas são sempre progressivos e estão na região abaixo da linha do umbigo.

4. Quais os modos de transmissão mais freqüentes do HTLV?

O HTLV possui as mesmas rotas de transmissão que outros vírus como vírus da imunodeficiência humana (HIV) e vírus da hepatite C (HCV): pela relação sexual desprotegida com uma pessoa infectada; uso em comum de seringas e agulhas durante a droga-adição; da mãe infectada para a o recém-nascido (principalmente pelo aleitamento materno).

5. Existe risco de transmissão através da transfusão de sangue?

Felizmente, desde de 1993 todos os bancos de sangue do Brasil devem testar os doadores de sangue para o HTLV. Assim, o risco de transmissão, praticamente, não existe em nosso país, nos últimos 7 anos.

6. Sou portador de HTLV-I assintomático e minha esposa é negativa para este vírus, assim gostaria de saber se devo usar preservativo nas relações sexuais?

Existe a recomendação para uso de preservativo (camisinha) em todas as relações sexuais, tanto neste caso como naqueles onde a mulher é soropositiva para o HTLV e o parceiro não.

7. Tenho 28 anos e sou portadora do HTLV-I assintomática e gostaria de saber se existe algum impedimento de ter filhos?

As chances de transmissão vertical são consideradas baixas (<10%) durante a gravidez. Entretanto, recomenda-se não amamentar no peito, pois o risco de transmissão pelo leite materno é razoável. Uma alternativa é o uso de leite vindo de bancos de leites, ou uso de fórmulas.

8. Quais as pessoas que deveriam ser testados para HTLV?

Sabendo os modos de transmissão, podemos indicar os grupos que mais poderiam estar expostos a este vírus: pessoas que utilizam (ou usaram) drogas endovenosas onde trocavam seringas ou agulhas, pessoas portadoras de HIV e pessoas que receberam transfusão de sangue antes de 1993.

9. Existe algum predisponente genético para o desenvolvimento de doença ?

Parece que algumas pessoas possuem uma predisposição genética para o desenvolvimento, porém isto ainda está em estudo.

10. Quais os cuidados médicos que devo seguir sendo um portador de HTLV-I?

Na primeira consulta, além da sorologia para HTLV-I/II, geralmente solicitamos sorologia para agentes que, potencialmente, apresentam rotas similares de transmissão como o vírus da hepatite B, vírus da hepatite C, HIV e sífilis.Em nosso Serviçode Ambulatório, os indivíduos portadores assintomáticos tem consulta a cada seis meses de intervalo. Os exames de sangue solicitados são: hemograma completo, contagem de linfócitos T CD4/CD8, cultura de linfócitos, protoparasitológico, Glicemia, DHL.

11. Existe algum exame de sangue que indique o risco do desenvolvimento de doença em pessoas assintomáticas e portadoras de HTLV-I?

Até o momento nenhum exame tem esta capacidade. Entretanto, novos estudos indicam que a quantidade do vírus HTLV-I no sangue, chamada carga viral, poderá indicar algum risco.

12. Qual o tratamento para os indivíduos assintomáticos para HTLV-I?

Como o risco do desenvolvimento da doença associado ao HTLV-I é muito baixo, não existe indicação de tratamento nos casos assintomáticos, até este momento.

13. Quais os casos que merecem tratamento ?

Os casos onde existem sintomas comprovados de doença associada ao HTLV-I, como paraparesia espástica tropical (TSP), uveíte, ATL, entre outras. O tratamento irá depender de uma avaliação neurológica, assim como estadiamento do grau de comprometimento, tempo de evolução, presença de outras infecções virais etc.

14.  Como se faz o diagnóstico da infecção pelo HTLV-I?

Somente por exame sorológico específico para pesquisa de anticorpos anti-HTLV-I/II no sangue. Após os exames de triagem, geralmente utilizando teste de ELISA, existe uma necessidade, em caso deste teste ser reativo (positivo) da realização do teste para confirmar e diferenciar anticorpos anti-HTLV-I e anti-HTLV-II.

Texto retirado do site http://www.htlv.com.br/.

OBS: Mãe, obrigada pela dica!

Anúncios
Published in: on 01/05/2011 at 22:39  Deixe um comentário  

The URI to TrackBack this entry is: https://mariliaescobar.wordpress.com/2011/05/01/conheca-um-pouco-mais-do-virus-htlv-nao-e-o-virus-da-aids/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: