Cãoterapia vai ajudar crianças em situação de risco.

Pelo menos dois cães da raça Rotweiller e um vira-lata irão ajudar 80 crianças e adolescentes em situação de risco social a perder a timidez e equilibrar as emoções. O projeto Inclusão Animal terá início neste sábado (2/7) com jovens entre 6 e 14 anos atendidos pela entidade beneficente Amor, Respeito à Criança e ao Adolescente (Arca), na Vila Padre Anchieta. O projeto foi elaborado a partir da experiência pessoal de uma pesquisadora da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Segundo a psicóloga e doutora em educação pela Unicamp, Hilda Maria Aloisi, a partir das 10h, as 80 crianças, divididas em pequenos grupos, passarão a ter contato semanal com os animais. ‘Em princípio, são dois Rotweillers e um vira-lata super inteligente. Mas, a medida em que o projeto for se desenvolvendo, vamos aumentar o número de cães envolvidos para conseguir alternar a participação dos animais e dar continuidade ao projeto’, explica. Além da participação de Hilda, idealizadora do Inclusão Animal, o trabalho será acompanhado ainda por um adestrador, mais dois psicólogos, um veterinário e uma assistente.

A coordenadora da Arca Arlene Groninger diz que a expectativa das crianças já é grande. ‘Os cães já estiveram na entidade há um mês para o primeiro contato e a experiência foi fantástica. Quando eu falei que teria a presença dos animais novamente, eles ficaram muito felizes e já estão muito ansiosos’, afirma.

As crianças atendidas pela entidade são consideradas em situação de risco social. ‘Muitas vem de famílias desestruturadas e com muitos problemas. A intenção do projeto é aumentar a qualidade de vida e promover o bem-estar dessas crianças com a presença dos cães’, diz Arlene.

De acordo com a Hilda, por terem características diferenciada dos outros animais, os cães proporcionam uma série de benefícios para o homem. ‘É um ser incansavelmente fiel e amoroso e sempre aceita o dono do jeito que ele é. Uma criança com cão é diferente da criança que vive em contato apenas com outros humanos e com máquinas’, afirma a idealizadora do projeto.

Segundo Hilda, através do convívio com o cão, a criança consegue resgatar valores perdidos como um simples gesto de carinho e de solidariedade.

A especialista explica ainda que o cão de qualquer raça ou tamanho faz bem a uma criança, mas quanto maior o porte do cão e domínio da criança sobre ele, maior será a sensação de poder e alto estima. ‘O animal de grande porte vai proporcionar uma maior sensação de poder porque a criança vai conseguir ter um domínio sobre ele. Ela vai se sentir líder de um enorme ser e vai ter mais segurança’, explica.

Experiência pessoal

Doutora pela Unicamp, Hilda já trabalhava com inclusão social quando teve a ideia de montar o projeto com os cães. ‘Comecei a pensar como seria uma pessoa com deficiência física adestrar os seus próprios animais. Conversei com um adestrador e me propus ao desafio’, conta Hilda, que tem deficiência física. ‘Foi surpreendente. Superei a mim mesma, assim como os meus cães superaram a pequena deficiência que tinham, em consequência de uma displasia’, afirma.

Além de superar as limitações físicas, Hilda percebeu os benefícios emocionais proporcionados pelos animais. ‘Fiz o trabalho de adestramento no meu bairro e todos começaram a prestar muita atenção. A minha interação e contato com as outras pessoas aumentaram muito’.

A partir da experiência, a especialista resolveu compartilhar o aprendizado. ‘Comecei a escrever um livro e fazer o projeto Interação Animal, que é um desmembramento do Projeto Incluir, registrado no grupo de estudos e pesquisas Paidéia, dentro do Departamento de Filosofia da e História da Educação da Unicamp’, explica.

SERVIÇO:

Os interessados em ajudar o projeto com patrocínios podem entrar em contato com a equipe de voluntários pelo telefone: (19) 3287-0245,(19)9204-1804 ou (19)7813-8341.

Texto retirado do site RAC.com.br.

Anúncios
Published in: on 03/07/2011 at 22:29  Comments (4)  

The URI to TrackBack this entry is: https://mariliaescobar.wordpress.com/2011/07/03/caoterapia-vai-ajudar-criancas-em-situacao-de-risco/trackback/

RSS feed for comments on this post.

4 ComentáriosDeixe um comentário

  1. Encontrei seu banner no Blog do Dirceu Rabelo e vim parar aqui!
    Muito interessante o post Caoterapia… Vale a pena patrocinar um projeto como este. Ajuda tanto as crianças quanto os animais, porque a serventia desses últimos também os tira da situação de abandono. Seus Site tem artigos excelentes, parabéns!

    • Jaime,

      O Dirceu Rabelo é meu pai. rs Estamos em família.

      Que bom que gostou do blog… então, quero te ver sempre por aqui.

      Abraços!

  2. Oi Marilia,
    Sou o Luiz Carlos, medico veterinario do Projeto Inclusão Animal, Onde por meio do adestramento de cães estamos levando melhores condicões sociais à criancas em situacão de risco.
    Em primeiro lugar quero te agradecer pela divulgacão do inicio do nosso trabalho, isso é muito importante para que este trabalho progrida.
    Em segundo lugar, te parabenizo pelo blog
    E por ultimo, te convido a conhecer nosso trabalho, que está no terceiro mes de atividade, e com excelentes resultados.

    Abraco,

    M.V. Luiz Carlos Nunes Arruda jr.

    • Oi, Luiz! Como é bom ter a visita de vocês aqui no blog.

      Achei o trabalho de vocês fenomenal! Já é sabido a importância dos animais no desenvolvimento de crianças e saber que há um projeto focado nisso, é sensacional!

      Não moro em São Paulo, mas adoraria, quando visitar o estado, conhecer mais de perto o projeto.

      Volte sempre e sucessos!

      Marilia Escobar


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: