Cientistas da Argentina rastreiam últimos exemplares de onça-pintada.

As peles de onças-pintadas mofadas em exposição em um escritório do governo em Buenos Aires são uma triste lembrança da precária existência desses felinos nas florestas do norte da Argentina.

As Cataratas do Iguaçu, na fronteira com Paraguai e Brasil, marcam agora o limite externo do alcance das onças-pintadas na Argentina. Estima-se que apenas 50 dessas onças vivam na selva subtropical ao redor das famosas cataratas.

Fora da vista das hordas de turistas, cientistas argentinos vêm monitorando uma das últimas populações remanescentes de onças-pintadas do país desde 2003. O objetivo do Projeto Jaguar (como também são conhecidas as onças-pintadas) é colocar colares de rastreamento com GPS nos animais para observar como eles são afetados pela agricultura e outras atividades.

Na maior parte dos anos, eles normalmente registram dois ou três animais durante uma campanha de rastreamento de um mês, mas desta vez nenhuma onça-pintada foi presa para ter o colar colocado, disse o líder da equipe Agustin Paviolo.

“Os estudos de risco populacional que vimos conduzindo em colaboração com o zoológico Lincoln Park, em Chicago, indicam que no período entre 20 e 30 anos, a probabilidade de extinção é bastante alta se não tomarmos uma atitude para reduzir as ameaças a essa população”, afirmou.

Risco de vida

A floresta do norte da Argentina foi classificada como uma das áreas onde as onças-pintadas têm menor probabilidade de sobrevivência, junto com partes do Brasil, Venezuela, Guiana e locais na América Central e México.

As onças-pintadas costumavam rondar partes do sul dos Estados Unidos, descendo até a Patagônia, mas ocupam agora apenas 40 por cento de sua área histórica.

O World Wildlife Fund (WWF) estima que apenas 15.000 estão na selva, uma vez que o desmatamento as priva de alimentos e as torna mais vulneráveis a caçadores.

Cerca de 18 mil onças-pintadas foram mortas em todo o mundo a cada ano por causa da pele durante os anos 1960 e 70, e a caça continua sendo uma ameaça a elas apesar das campanhas atuais contra o uso de pele animal.

As onças-pintadas de pelúcia, tapetes de pele do animal e jaquetas à mostra no escritório de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do governo foram confiscados por autoridades nos últimos anos.

Texto retirado do site G1.

Anúncios
Published in: on 13/10/2011 at 19:58  Comments (2)  

The URI to TrackBack this entry is: https://mariliaescobar.wordpress.com/2011/10/13/cientistas-da-argentina-rastreiam-ultimos-exemplares-de-onca-pintada/trackback/

RSS feed for comments on this post.

2 ComentáriosDeixe um comentário

  1. Ainda tem alguns loucos que caçam o bicho.

  2. Ainda há caça, porque temos a IMPUNIDADE instaurada em nosso País.
    Em SC já não há áreas de mata suficientes para abrigar a onça pintada, tanto é que no Estado não há mais a presença deste magnífico felino.
    E assim muito outros animais estão ficando sem habitat, pela destruição dos remanescentes de Mata Atlântica, que já são há um bom tempo, insuficientes para garantir a sobrevivência de toda sua Biodiversidade !!!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: